TRANSBORDANDO

Postado em

Ando inebriada

De ideias servis

Lotada

De pensamentos bons, febris

Vontade de doar

Percebo-me sorridente

Ao cofre espreitar

Porco gordo ricamente

Com estômago de moedas

Quero quebrá-lo

Para dar ao mundo, consertadas.

Destruir para uni-lo

Rasgar para emendar

Cortar para cerzir

É contagiante

Eletrizante

Explosivo

O tempo passa

A vontade aumenta

Quase transborda

Como água que pinga da torneira

Vagarosamente

Enchendo o copo na pia

Assim como o porco

Engordando com moedas.

 

Simone Possas Fontana

(escritora gaúcha de Rio Grande-RS,

membro da Academia de Letras do Brasil/MS, ocupando a cadeira 18,

membro correspondente da Academia Riograndina de Letras,

membro da UBE/MS – União Brasileira de Escritores,

autora dos livros MOSAICO, A MULHER QUE RI e PCC,

graduada em Letras pela UCDB,

pós-graduada em Literatura,

contista da Revista Cultura do Mundo,

blog: simonepossasfontana.wordpress.com)