CONVITE PARA PIZZA

Postado em Atualizado em

            Ité me ligou convidando para fazer pizza na casa dela no sábado à noite.

pizza

 

            Adoramos o convite, afinal não estávamos indo à casa de ninguém, a não ser que fôssemos convidados, já que durante vários anos visitamos vários parentes e amigos e não obtivemos retorno.

            Ité é o apelido de minha prima Salete. Ela é nota dez: meiga, tranquila, companheira, dócil, carinhosa, gentil, mansa de tudo, características que se estendem a sua mãe, Ana Aldah (minha madrinha, mais conhecida por tia Aldinha), ao seu marido Dinho e a seus filhos João Pedro e Ludmila.

            Ficamos alegres e empolgados com o convite: primeiro, porque estávamos esperando um convite; segundo, porque a pizza que o Geraldo faz é excelente; em terceiro lugar, pela companhia agradável que é a família da Ité.

 

pizza 1

 

            Combinamos os “comes-e-bebes” e dividimos tudo.

 

dinheiro

 

          Saímos para comprar as massas e os ingredientes para a cobertura, na maior empolgação. No sábado, por volta das 16:30 horas, o Ge já estava ansioso, eufórico, pronto para sair…

 

relógio

 

            E fomos.

            Chegamos à casa da Ité muito cedo, interrompemos o descanso do Dinho, que estava assistindo um jogo de futebol pela televisão, mas fora isso foi tudo bem.

homem futebol televisão

 

 

            Enquanto os homens viam o jogo, fomos para a cozinha (fui dar uma adiantada nas pizzas). Ité comentou que se quiséssemos poderia ter deixado os ingredientes cortados para facilitar nosso trabalho. Expliquei a ela que a pizza, na verdade, é uma desculpa deliciosa para um agradável encontro familiar; que enquanto corto o tomate e a cebola, vamos conversando, dando risadas, atualizando as notícias… e é isso que importa!

 

risada 1

 

 

            Em seguida o Ge veio para a cozinha para montar as pizzas, tudo regado a muito bom humor, alegria e risadas. Ité puxou uma cadeira para perto da mesa onde o Ge estava preparando as pizzas, tomando nota de tudo mentalmente, porque queria aprender as técnicas para deixá-las com cobertura suculenta. Ge falou-lhe que essas técnicas faziam parte de um segredo profissional, mas que ele iria abrir uma exceção para ela. Tudo isso regado a muita alegria e SEM CERVEJA!

cerveja

 

 

            Pois é. Parece mentira, mas é a mais pura verdade. Decidimos primeiramente manipular as pizzas e deixar a cervejinha para depois, para não haver erro na preparação das mesmas.

 

erro

 

            Depois da montagem das pizzas, sentamos todos na varanda para conversar e bebericar e já deixamos combinados outros encontros. Durante a preparação e neste momento de descanso – enquanto esperávamos as pizzas assarem, fizemos várias fotos. Após lancharmos, minha tia Aldinha ainda nos surpreendeu com um delicioso pudim!

 

pudim

 

 

            Tudo muito bom, como já havíamos previsto!

            Quer coisa melhor? Para que?

            O importante é ser feliz, com um sorriso sincero estampado na cara.

 

mulher sorrindo

 

            Obrigada Ité e família!

mulher feliz

 

           Até a próxima!

 

acenando

 

NOTA  DA AUTORA:

116513[1]

– Texto escrito em abril/2010.

– Publicado no livro MOSAICO, da Editora Gibim.

– Publicado no site: http://www.recantodasletras.com.br em maio/2013

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s